Rui-Mário Gonçalves

Prémio Gulbenkian de Crítica de Arte












A arte viva é o código dos códigos, é ela que os funda e as suas obras resistem mais do que eles.
É consolador penetrar no processo mágico, passar, não apenas a sonhar, mas a fazer sonhar.
Para Hélio Cunha a aventura poética é total, ou não existe.

2006