■ RESUMO CURRICULAR



       BIOGRAFIA



Hélio Domingues da Cunha nasceu na Penha de França em Lisboa.

Em 1978 viveu em Inglaterra onde iniciou estudos e experiências no domínio das Artes Plásticas.

No final da década de oitenta frequentou o atelier do escultor Domingos Soares Branco nos Coruchéus.

A partir de 1982 realizou 41 exposições individuais e participou em mais de 150 coletivas.

Em quatro diferentes ocasiões, obteve dois primeiros, um segundo e um terceiro prémios de pintura Portugal Telecom.
Prémio MAC 2015 em pintura.

Foi membro do júri de selecção do Prémio de Pintura e Escultura Artur Bual ( 2006)

Um filme sobre a sua obra, realizado por Álvaro Queirós, figura nos arquivos do ANIM, Cinemateca Portuguesa.

Mencionado no London Public Cataloghe Foundation, BBC website Your Paintings, Wikipédia e em diversas publicações nacionais de Artes Plásticas.

Expôs individualmente na Galeria de Arte Moderna da Sociedade Nacional de Belas-Artes, MAC (Movimento Arte Contemporânea), Galeria Diário de Notícias, Galeria Municipal Artur Bual, Centro de Exposições de Odivelas, Ministério da Defesa Nacional e Centro UNESCO do Porto. 

Participou em exposições coletivas na Fundação Champalimaud; Galeria de Exposições Temporárias do Centro Cultural de Belém; Galeria EMMA, Madrid; Consulado Português em Paris; Gallery 118, Londres; Walsall Art Gallery, Birmingham; Fellini Gallery, Berlim;  Artexpo New York 2011.

Em 2013 e em 2017 expôs respetivamente no Forte do Bom Sucesso e na Galeria MAC, com Cruzeiro Seixas.

Em 2016 a Chiado Editora lança o livro "Hélio Cunha / pintura desenho palavras".

Está representado no Museu do Chiado, Fundação Oriente, Fundação Cupertino de Miranda, Walsall Metropolitan Museum em Inglaterra, Museu de Arte de Luanda, Museu Estadual do Recife  no Brasil e  Museu de Arte de Macau na Républica Popular da China.

Dedicaram textos ao pintor e à sua obra Aida Sousa Dias, Álvaro Lobato de Faria, Antonieta Castro, António Valdemar, António Victorino d’ Almeida, Cruzeiro Seixas, Edgardo Xavier, Eduardo Nascimento, Eurico Gonçalves, Fernando Dacosta, José Man, Manuel Bontempo, Margarida Botelho, Margarida Madruga, Maria João Bual, Rui-Mário Gonçalves e Mestre Soares Branco.